Blog da jornalista Olívia de Cássia  
 
BRASIL, Nordeste, MACEIO, CENTRO, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, Portuguese, Livros, Informática e Internet, Cinema
MSN -
border=0
 
   Arquivos

     
    border=0
    Outros sites

     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     Site Pessoal de Olívia de Cássia
     Tribuna Ocupada
     Fenaj
     Comissão de Jornalistas Assessores de Imprensa
     Blog do Maikel Marques
     Blog do Tchola
     Blog do deputado Paulão
     A Palavra - Ivan Nunes
     AL RÁDIO - Notícias na Internet
     União dos Palmares Wikpedia
     Site do jornalista, escritor e artista Bezerra Neto
     Tribuna Independente
     Blog do Bezerra Neto
     Alagoas em Tempo Real - Notícias
     Alagoas Agora - Notícias
     Fonte Notícias
     Tudo na Hora
     Alagoas 24 horas
     Assembléia Legislativa
     O Relâmpago - jornal on-line
     Blog de Edberto Ticianeli
     Dr. Paulo do PT
     Blog do Toni Lima
     Judson Cabral - líder do PT na Assembléia
     Blog do Serginho
     Josivaldo Ramos
     Show da Clô
     Zoio TV - Arapiraca
     Jornal Primeira Edição
     Site Gente da Gente


    Votação
    Dê uma nota para meu blog



    border=0
     


    A felicidade...

    Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Descobri que a felicidade
    não está nos outros,
    ela está em cada um de nós.
    Um dia pensei que a felicidade
    estivesse em outro lugar,
    busquei, procurei e descobri
    que não podemos esperar
    que os outros façam por nós
    aquilo que devemos fazer:
    ser feliz.
    Porque a felicidade está
    naquilo que fazemos
    no dia-a-dia,
    nas pequenas coisas
    que realizamos com sucesso,
    no pensamento positivo
    e na esperança de um novo amanhã.
    Um amanhã de grandes novidades,
    de muitas esperanças,
    de certezas,
    de pensar que
    a felicidade está
    no agora e não no amanhã.
    A felicidade está no descobrir
    que a vida é bela
    e que vale a pena vivê-la,
    cada minuto,
    cada instante,
    sem esperar dela
    coisas grandiosas
    e impossíveis.


    Escrito por Olívia às 21h21
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Quanto tempo...

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Quanto tempo !

    Quanto tempo
    o tempo disporá
    até que não saiba mais quem sou?
    quanto tempo terei para reiventar
    minha vida
    de forma que ela
    tenha um outro sentido??
    Quanto tempo terei
    para tomar as rédeas
    do destino
    e seguir em frente
    em busca
    de algo mais??



    Escrito por Olívia às 21h18
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Utopiando

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Gostaria de habitar num mundo,
    onde não houvesse
    tanta carência, tanta desproteção,
    tanta insatisfação.

    Onde houvesse liberdade de pensamentos,
    sentimentos e ações.

    Onde as pessoas se amassem livremente,
    sem preconceitos absurdos,
    neste submundo, mundo cão!

    Onde não existissem drogas, nem destruição.
    Onde o amor prevalecesse e todos
    fossem
    irmãos...



    Escrito por Olívia às 20h24
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Quero ver

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Quero ver o sol,
    quero ver o mar,
    quero ver os pássamos
    a cantar.

    Quero ouvir o canto triste,
    o canto livre do sabiá.
    Sabiá melancólico,
    que canta a tristeza
    dos caboclos
    do Ceará!

    Quero ver o riso
    botando em cada um,
    quero ver fartura,
    quero ver ternura,
    quero ver...



    Escrito por Olívia às 20h24
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Imagino

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Imagino você, moreno,
    com esses olhos rasgados,
    esse riso bonito,
    esses cabelos de índio...
    Imagino você sorrindo,
    vivendo, querendo, gostando...
    Imagino você.



    Escrito por Olívia às 20h23
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    A estrela

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Uma estrela no espaço,
    isolada de todas as outras,
    quis realizar seu sonho infantil
    de ser a principal dentre todas
    do Universo.
    Ela vivia dentro do seu próprio
    mundo de sonhos e fantasias,
    achando-se a mais encantadora,
    a mais brilhante.
    Mas um dia ela despertou para a vida
    e viu que sozinha, jamais poderia ser
    importante, pois não havia
    nenhuma outra estrela
    que lhe contemplasse
    e que lhe achasse
    importante...



    Escrito por Olívia às 20h22
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Foi você

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Foi você
    quem despertou esta sede
    em mim...
    Foi você!

    Foi você
    quem me deixou
    triste, vazia...
    Foi você...

    Foi você
    quem despertou
    um amor maior,
    Foi você...

    Hoje tudo acabou.
    De você restam:
      uma lembrança,
      os momentos, as músicas,
      a natureza, o espaço, o nada,
      a vida..
    De você resta apenas
    a amizade!



    Escrito por Olívia às 20h22
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Viva e deixe o mundo viver

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Deixa nascer esse  brilho no olhar...
    Deixa crescer essa força vibrante,
    que surge e vigora no ar.

    Deixa viver esse amor infinito
    e profundo,
    e que o mundo não vai
    entender...

    Por isso eu digo:
    Viva e deixe o mundo viver,
    e brotar a canção
    no mais alto astral...   (bis)



    Escrito por Olívia às 20h21
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Eu queria...

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Eu queria estar contigo,
    numa noite calma e segura,
    cheia de estrelas
    e sob a luz de um luar
    encantador...

    Eu queria poder tocar você,
    tocar tuas mãos,
    acariciá-las, beijá-las,
    e transmitir as emoções
    sentidas naquele instante.

    Te fazer entender
    o quanto vale ser alguém,
    o quanto vale
    significar alguma coisa
    para esse alguém.



    Escrito por Olívia às 20h21
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    A partida

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Quando você partiu
    levou um pedaço de mim.
    Com você foram:
    a minha alegria
    e meu entusiasmo de viver...
    Fiquei a esperar você...
    Mas triste ironia do destino!
    Você voltou mas não para mim.
    você voltou para tua vidinha de sempre,
    teus amigos, tuas orgias...
    tuas andanças...
    E eu, tão triste,
    tão encantadoramente
    apaixonada,
    não havia percebido
    que você
    nunca havia
    me amado.



    Escrito por Olívia às 20h20
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Terra de Zumbi

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Terra de Zumbi.
    Foi na Serra da Barriga
    que o negro sonhou,
    seu sonho forte de liberdade...

    Terra de Zumbi...
    Foi na Serra da Barriga
    que o negro  cantou,
    seu canto forte de liberdade...

    Terra de Zumbi...
    Foi na Serra da Barriga
    que o negro viveu,
    seu canto forte de liberdade,

    Terra de Zumbi...



    Escrito por Olívia às 20h20
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    O destino nos separou

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Quando nos aproximamos um do outro,
    éramos dois náufragos à procura de um porto.
    Éramos  duas metades incompletas,
    em busca de seus complementos.
    Fomos nos encontrando
    e quase nos
    completamos...
    Não tivemos chance de nos realizar,
    no entanto.
    Nosso amor não foi bastante para
    superar todas as barreiras
    que se ergueram entre nós.
    Faltava um “não sei o quê” de  afirmação,
    e nos separamos...
    Foi duro perder você.
    Foi triste ter que
    acostumar a viver sem os teus
    carinhos, sem a tua presença,
    sem a tua respiração...
    Hoje é nosso aniversário de separação.
    Tantos anos de vida,
    quase vazia...
    Sem amor, sem carinho, sem você.
    Hoje, um vazio se apossa de mim,
    e eu não posso deixar de lembrar você.
    Hoje, eu sou tristeza,
    sou solidão!





    Escrito por Olívia às 20h19
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Quando tu me olhas

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Quando tu me olhas,
    sinto descobrires em mim,
    os mais íntimos segredos.

    Sinto-me despida,
    desarmada...
    Quando tu me olhas.

    Quando tu me olhas,
    uma alegria imensa
    toma conta de mim,
    uma felicidade incontida
    e reprimida se revela,
    e eu perco o controle
    e o rumo
    dos meus gestos
    e até
    das palavras...
      Quando tu me olhas.



    Escrito por Olívia às 20h19
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Bicho gente

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Bicho gente,
    bicho homem,
    mulher...
    Bicho que geme,
    chora,
    rir e canta...
    Bicho que acolhe,
    afaga,
    ama e
    despreza...

    Bicho que faz crer
    e desacreditar,
    faz amar e odiar,
    faz nascer e faz morrer...
    Bicho gente...

    Bicho manso,
    bicho feroz,
    bicho amado,
    desacreditado,
    desprezado...
    Bicho.






    Escrito por Olívia às 20h18
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Estar em paz

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Estar em paz consigo mesmo,
    significa estar em paz com o
    mundo, com a vida.

    Não importa se existem pessoas,
    que queiram te derrubar,  pois se
    tua cabeça está legal, em ordem,
    tudo dará certo.
    Pensar com otimismo e segurança,
    é a maneira de se conseguir
    um lugarzinho ao sol,
    mesmo estando difícil,
    devido às dificuldades
    impostas por indivíduos
    que se julgam superiores,
    donos da única  verdade existente,
    na concepção deles.

    Ninguém é completamente errado,
    ninguém é completamente certo.
    Não existe perfeição.
    No entanto, se todos lutarem
    por ideais
    de paz, amor, se houver união
    entre as pessoas, talvez então
    comece a surgir
    um pouco
    de aperfeiçoamento.



    Escrito por Olívia às 20h17
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Eu e você

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Eu sou energia
    vindo das mais profundas fontes,
    que emerge no seio da natureza mãe.

    Eu sou o céu, o mar, as estrelas,
    as águas que surgem das fontes,
    o sol de verão, a aurora saudável...

    Eu sou alguém.
    Eu vivo, amo, gosto,
    sinto, quero, imagino, sonho.

    Você é o infinito finito.
    É o meu céu,
    meu desejo, meu sonho.

    Você e eu somos a conjugação,
    a junção de tudo.
      Juntos somos um universo a ser
      explorado.



    Escrito por Olívia às 20h17
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Antagonismo

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Sou vida, sou morte,
    sou antagonismo.
    Sou pássaro, sou abutre,
    sou lago, sou rio.
    Sou aflição, sou paz.
    Sou ilusão
    e decepção...
    Sou um mundo cheio
    de esperanças
    e desejos,
    sou um beijo,
    um carinho,
    uma flor...
    Mas não tão pura,
    nem tão bela,
    sedutora,
    não como a flor...




    Escrito por Olívia às 20h16
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Sonhos

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Essa juventude minha
    que os anos vão consumindo...
    Ah, quantos sonhos acalentados
    em meu cérebro de menina
    e de mulher...
    Sonhos  tantos,
    quase todos acabados,
    sonhos desvairados,
    endoidecidos,
    sonhos...
    Viveis em tantas cabeças,
    em tantos cérebros...
    Marcantes para o resto da vida.
    Tantas vezes irrealizáveis...
    Sonhos lindos de criança,
    de menina, adolescente,
    de mulher...





    Escrito por Olívia às 20h16
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    O que senti ao ver você

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Hoje, quando vi você,
    meu coração começou a querer
    sair do peito, e minhas pernas
    tremiam de emoção e contentamento.
    Ao chegar perto de você
    e olhar teus olhos, tive a impressão
    de que mudei de cor.
    Você me olhou.
    Não sei o que pensava,
    mas sei  que  logo soube
    o que se passava  comigo.
    Minhas mãos geladas,
    um calor imenso
    percorrendo meu corpo,
    revelando  a necessidade de sentir
    você comigo,
    naquele instante.




    Escrito por Olívia às 20h15
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Minha tela

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Tentei desfazer uma tela,
    mas a tinta branca que passei
    não conseguiu apagar a outra “pintura”.
    Virando a tela, vemos o que foi “pintado”
    anteriormente.
    Cheguei à conclusão que a minha tela
    é igual à própria vida:
    por mais que se queira,
    não se apaga tudo dela,
    sempre resta uma sombra.

    Medo de amar

    O medo de amar é decepção que você pode ter
    de descobrir verdades que tentava omitir
    de ti mesmo.



    Escrito por Olívia às 20h14
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Para um amigo

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Dentro de você existe uma luz.
    Uma luz que espero,
    nunca se apague.
    Esta luz  irradia  calor humano,
    fluídos positivos, boas vibrações.
    É uma força interior tão intensa,
    tão carregada de bom humor,
    que consegue contagiar a todos
    que de você se aproximam.
    Tua presença será sempre
    imprescindível e desejada.
    Você preenche um grande espaço
    dentro de mim.
    Preciso agradecer a Deus
    pela tua existência,
    pois é de pessoas assim,
    que o mundo necessita.




    Escrito por Olívia às 20h14
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Força interior

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    O fogo queima, arde, fere...
    É como a paixão.
    O frio gela e faz mal às vezes.
    É quando não existe nada a ser
    trocado...
    Mas existe também  uma força interior
    intensa, que por vezes não se extingue
    como o fogo da paixão, e não esfria
    como o gelo  da indiferença.
    Muitas ocasiões, por falta de alimento,
    esta força tende a adormecer, mas permanece,
    até que um dia ela acorda com ânsia e
    intensidade maior, só que com mais
    suavidade...





    Escrito por Olívia às 20h13
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    A chuva

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    A chuva solta pingos,
    refletidos brilhantemente
    na luz de um poste qualquer...
    Dependendo do momento
    que estejamos passando,
    ela poderá traduzir um mundo
    de emoções, tristezas...
    Ela traz saudade...
    Mistura-se confusamente na noite,
    e em pensamentos eu apelo, interrogo...
    Mas ela, a chuva, nada me diz.
    E eu fico a observá-la.
    A música fala da chuva, da saudade de algo
    inesquecível,
    talvez criado por uma cabeça
    e um coração cheios de carências...
    Necessitados de todos os tipos de emoções,
    que possa sentir um ser humano real,
    perfeito na sua imperfeição,
    feliz na sua infelicidade,
    satisfeito na sua insatisfação.



    Escrito por Olívia às 20h12
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Em busca de paz

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Diante de um mundo  tão cheio
    de ambições, maldades, violências,
    inquietações, desamor...
    Onde o dinheiro e o “progresso”
    estão transformando tudo,
    o homem de hoje
    já não encontra a paz que deseja.
    Ele não tem tempo para se reconciliar
    com o próximo, nem para aproveitar
    as coisas simples e puras.
    Não tem tempo para si e não valoriza os sentimentos.
    Sente necessidade e  muitas vezes não diz,
    porque não sabe do que precisa...
    Mas precisa de paz, de encontro  consigo mesmo,
    com a vida.
    A matéria domina o espírito, a cada dia, e as pessoas
    se transformam em fantoches e robôs...
    Se você tenta conversar legal, alguém sempre te corta...
      Se tenta fazer algo de bom, você é logo criticado.
      Para qualquer coisa que você pretenda realizar,
      há sempre alguém querendo atrapalhar...




    Escrito por Olívia às 20h11
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Previna-se

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Quando alguma coisa corrói dentro de você,
    quando o coração pulsa mais forte do que o normal,
    quando você gela as mãos, os pés, ao ver alguém,
    quando tuas pernas tremem
    e você não sabe fazê-las parar...

    Quando dentro do teu peito, você sentir um apertinho,
    um nó na garganta, uma alegria diferente, sem razão...
    Quando  você sentir vontade de ser
    o “centro das atenções”...
    Cuidado!
    Este é um “sinal de alerta”,
    tudo  isso pode ser...
    Amor...!



    Escrito por Olívia às 20h11
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Tristeza

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Dia nublado.
    O mar cheio de ondas,
    furioso...Dia triste.
    De repente, a conversa girou em torno
    de fatos tristes que me envolveram,
    e que  no entanto, me trouxeram experiências...
    Algumas tristes, outras ensinaram-me muito
    do submundo que existe em cada ser humano.
    Olho-me no espelho. Me acho até engraçadinha...
    - Ah, menininha, nã sejas boba!
    Olha o  mundo!
    O belo existe dentro de você,
    mesmo que as pessoas não queriam  aceitar...
    Busque dentro de você mesma a tua fortaleza,
    embora precises de uma força externa.
    Luta pelos teus ideais,  muito embora,
    pareçam utopia...
      A vida só se torna necessária,
      válida, gostosa,
      se tivermos alguns sonhos,
      não importa se não se realizem todos.



    Escrito por Olívia às 20h10
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Enigma 

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Enigma da vida, misterioso silêncio...
    Por mais que tentamos descobrir
    a tua verdade, menos verdade sabemos.
    E ficamos nos atormentando,
    errando, pecando...?!
    Talvez a resposta esteja dentro de cada um:
    sábio, ignorante, poeta,
    cientista, analfabeto...
    Que não sabe desenvolver a escrita,
    mas sabe da vida...
    Entende  os mistérios do mato,
    das noites,
    das estrelas...
    Que nunca estudou
    aritimética, nem física,
    mas tem noção de distância.
    Que não entende  de medicina
    mas, às vezes, se curam das doenças...
    Que pouco ou nada sabe da sujeira do mundo,
    se ilude com promessas de políticos e de patrões,
    e morre lhes sendo fiéis
    e confiantes...




    Escrito por Olívia às 20h10
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Utopia

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Na inebriante presença de um ser,
    a felicidade de também assemelhar-se
    a este, e imaginar que juntos,
    poderiam viver e desfrutar
    de coisas grandiosas...

    De poderem estar tão juntos,
    que os seus corpos pudessem parecer um só.
    Unificados pelo sentimento
    mais profundo, mais natural
    e mais sublime.

    Tão íntegros, tão cúmplices, tão envolvidos,
    que não pudessem perceber a presença
    de um outro mundo,
    lá fora...

    Nem ver, que dentro desse mundo existem:
      coisas, fatos e pessoas...
      Nada, nenhum pensamento que não fosse nós,
      fazendo a integração, a complementação
       um do outro...
      Nós, só nós...




    Escrito por Olívia às 20h09
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Falta de você

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    No lugar os locais,
    de recordações, de canções,
    de amores escondidos, proibidos...

    Nas pessoas, os sentimentos
    são confusos, obscuros,
    brilhantes, reais, ilusórios...

    Nas recordações, a saudade
    dos nossos momentos
    de carinho
    e de silêncio,
    que não precisavam
    de muitas palavras...

    Nas músicas, as revelações
    dos nossos sentimentos,
    da nossa intimidade.

    E no recanto, o pranto se veste
    num manto  de desespero.
    Da necessidade
    das vibrações, emoções,
    e a falta de você.




    Escrito por Olívia às 20h08
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Mistério

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    O frio, o vento, o tempo...
    passam...
    E eles me dizem que estou
    chegando ao fim...
    Não sei se é o fim que procuro,
    no qual existe um meio.
    Só sei que anseio, desejo,
    sinto, amo.
    E o tempo passa.
    Rápido como  um furação,
    levando os  restos,
    restos de esperança.
    A esperança de vencer,
    crescer  e brilhar.
    Brilhar como as  estrelas,
    no seu brilho belo  e encantador,
    que a todos encanta e seduz.
      E eu fico aqui, a esperar
      no tempo que o vento e as estrelas,
      ou próprio sol me respondam,
      me entendam e me traduzam
      o mistério...
      Que mistério!



    Escrito por Olívia às 20h08
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Que bom seria!

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Que bom seria, se as pessoas se tornassem
    mais humanas, e se  entendessem mais...

    Como seria bom, se permanecessem
    o canto dos pássaros,
    a pureza de uma criança,
    a sabedoria dos animais...

    Que bom seria!
    Se a hipocrisia não existisse,
    a maldade não houvesse e todos
    fôssemos mais irmãos...

    Que bom seria!
    Se o amor conseguisse transformar
    a cabeça daqueles que pensam ser
    auto-suficientes...

    Que bom seria...!
    Se o diálogo puro e sincero,
    fosse a base dos relacionamentos
    humanos...



    Escrito por Olívia às 20h07
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Que me venha você

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    Que me venha você com toda a tua ânsia,
    e sede, e fome, e angústia de homem insatisfeito.

    Que me possuas na forma mais pura do ser,
    e me  leve para o mundo das fantasias...

    Fantasias indecifráveis, no momento mais alucinante,
    no momento mais  profundo e  insaciável...

    Insaciável na sua maneira de ser,
    pelo tempo que foi perdido, escondido, proibido...
    Proibido de te amar, te sentir, te beijar, amar,
    curar, domar, consolar.

    Consolar das tuas tristezas, incertezas,
    inseguranças, pecados, desejos incontidos, proibidos...

    Ah! Que me venha você!

      




    Escrito por Olívia às 20h06
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Divagação

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira


    De repente me vejo perdida.
    O pensamento quase vazio,
    contemplando a natureza.

    O vento batendo nas ár
    vores
    e plantas,
    e nem sei porque, fui pensar
    em você.
    Quase num fiozinho,
    um restinho de lembranças
    me trouxe a recordação do que vivemos.
    O pouco que tornou-se muito...
    e lágrimas desceram do meu rosto.
    Vim para o meu quarto, meu mundo,
    para que os outros não me vissem chorar.

    É incrível como o pensamento  retrocede
    e nos traz pensamentos
    que nem queremos  lembrar.
    Talvez estas lembranças
    sejam para preencher esse vazio,
    essa solidão...
    do quarto e da minha vida...



    Escrito por Olívia às 20h05
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Você, um objeto

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Eu não mereço
    que você me ame,
    eu não mereço
    que você me chame,
    me suplique,
    me deseje...

    Porque não consigo
    te amar, consolar, te chamar...

    E só te desejo,
    quando estou só,
    necessitando de alguém
    perto de mim,
    para me consolar...




    Escrito por Olívia às 20h04
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Interrogações

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Que tempo, que vento, que mar?
    Qual deles poderá  me dizer o que devo fazer?
    Se me esvazio de mim mesma,
    se silencio e me aprofundo
    no mais obscuro dos meus
    sentimentos...

    Se fico limitada a um conjunto
    de fatos incompletos,
    incertos...

    Se vivo, se sofro, se mato,
    se morro,
    se corro,
    eu morro?




    Escrito por Olívia às 20h03
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Quem dera

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Quem dera poder tirar de mim
    esta angústia amarga, triste,
    solitária...

    Porque  embora cercada de pessoas,
    sinto-me só, insegura, perdida
    num vazio sombrio...

    Quem dera me sentir completa,
    satisfeita e segura...

    Quem dera a juventude,
    trouxesse a paz
    que busco em mim,
    nas pessoas,
    no espaço, no universo...
    na vida,
    Quem dera!



    Escrito por Olívia às 20h02
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Solidão

    Por Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

    Solidão à noite.
    A poluição tomando conta do espaço.
    É poluição sonora, ambiental,
    poluição mental...
    E divago em pensamentos,
    E o lamento se apossa de mim.
    E anseio, e sinto, e quero,
    imagino...
    Uma forma de viver
    sem tanto errar, nem  tanto
    pecar...
    Mas não encontro...
    O desejo ardente, a vontade
    de viver de tudo,
    por tudo, com todos,
    É superior a qualquer
    ansiedade primeira,
    a qualquer divagação...
    Solidão!



    Escrito por Olívia às 19h59
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    Boa noite,

    Esta é a primeira conversa que estou tendo nesse espaço, que servirá de divulgação de idéias, poesias, textos e minhas impressões sobre a vida. Convido a todos os amigos para fazerem uma visita.



    Escrito por Olívia às 19h50
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
    border=0